Pipoca Moderna | Pulp Fiction tem muito a ensinar sobre apresentações
706
post-template-default,single,single-post,postid-706,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Pulp Fiction tem muito a ensinar sobre apresentações

Mais um dos grandes clássicos de Tarantino irá nos ensinar alguma coisa sobre apresentações. Pulp Fiction não é necessariamente uma narrativa com começo meio e fim, mas sim uma série de eventos coligados que se esbarram numa linha do tempo bizarra. Vamos ver o que a sua apresentação tem a aprender com isso.

Você não precisa começar pelo começo. Por mais absurdo que isso soe, faz sentido. Vou explicar. Para fazer uma apresentação, as pessoas tendem a montar uma linha de raciocínio cronológica com um começo, meio e fim, bem definidos. Para a maioria dos casos, isso funciona muito bem. Mas se você quer fazer algo diferente, e se o seu conteúdo permitir, você pode inverter as ordens, adaptando a sequência da sua fala conforme você acha que seja mais interessante para o público. Você não precisa ter fases bem definidas. É claro que, para fazer isso você tem que ter total domínio do seu conteúdo e saber como misturar tudo sem deixar confuso. Se você não estiver seguro para fazer essas modificações, mantenha a ordem padrão e estará tudo bem.

Seja Prevenido. Sei que essa dica não é tão específica para apresentações, mas é muito importante. Tenha a sua apresentação salva em inúmeros meios, chegue antes onde você irá fazer a apresentação e teste todos os recursos técnicos que você irá usar. Em Pulp Fiction por exemplo, Vincent Vega é um assassino profissional que tem que matar Butch Coolidge, um cara que não cumpriu um acordo que fez com Marsellus Wallace, um grande chefão da máfia. Vincent fica esperando na casa de Butch para surpreendê-lo. Acontece que o assassino precisou ir no banheiro e deixou sua arma no balcão da cozinha. Adivinha quem chegou nesse momento? Butch. E o que ele fez? Pegou a arma e atirou em Vincent. Concorda comigo se eu disser que faltou prevenção por parte do assassino? Confira tudo, esteja sempre preparado e caso for ao banheiro, leve consigo a sua arma.

Com Pulp Fiction aprendemos que a ordem da sua linha de raciocínio não precisa sempre seguir o padrão, e que é melhor prevenir do que remediar. E qualquer coisa lembre-se, “ And you know my name is Lord when I lay my vengeance upon you, and your presentation”.

Rodrigo Ventura
rodrigo@pipocamoderna.com

Sócio-fundador da Pipoca Moderna, colecionador de discos, apreciador de plantas, livros e churros.