Pipoca Moderna | Dicas para falar em público com Scarface
1369
post-template-default,single,single-post,postid-1369,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Dicas para falar em público com Scarface

Com uma das melhores performances do nosso grande Al Pacino já vistas, Scarface conta-nos a história de Tony Montana, um imigrante cubano, pra lá de encrenqueiro que se mudou pros EUA buscando vencer na vida, o que incontestavelmente, ele fez. Vamos ver o que podemos aprender com Tony no quesito apresentações e ver algumas dicas para falar em público.

Tenha confiança no seu conteúdo. Você tem que subir no palco acreditando no seu discurso, para então, conseguir fazer com que o público faça o mesmo. Há algumas maneiras de passar confiança, uma delas é pela sua postura. Mas tome cuidado para não ficar estático demais, você pode se mostrar confiante e calmo sem ficar parado, ande confortavelmente pelo palco, chame a atenção. Outra forma de passar confiança é dando algumas pausas na sua fala durante seu discurso. Assim, a plateia terá tempo de absorver as informações e não pensará que você está nervoso ou com pressa. Tony sim era um cara confiante, desafiava todo mundo, não tinha medo nenhum. Com isso, colocava medo nos seus inimigos e não demorou muito pra crescer dentro do ramo da máfia (ok, admito que esse não é lá um exemplo politicamente correto, mas pensemos que para apresentações, serve).

Não tenha medo de arriscar. Sim, eu sei, é fácil falar. Mas pare pra pensar, se por um acaso você tem a ideia de implementar uma dinâmica durante a apresentação, que combina com o tema, faz sentido na sua linha de raciocínio porém tem medo que o público não reaja a ela, tomar o risco é sua melhor alternativa. Sua apresentação tem que ser especial, algo nela deve chamar a atenção e diferenciá-la das demais. Um exemplo disso são dinâmicas e meios de interação com público. Isso é muito importante e é um risco que vale a pena ser tomado. O que seria de Tony se não tomasse os riscos? Se não fosse lá negociar com os mexicanos barra pesada, desafiasse os chefes do crime? A com certeza, nunca seria o Tony que conhecemos.

Além de aprendermos como escalar dentro dos cargos da máfia, aprendemos com Tony que passar confiança no seu conteúdo é essencial e que o medo de arriscar apenas vai impossibilitar que você inove na sua apresentação. Agora: Say hello to my little friend!

Rodrigo Ventura
rodrigo@pipocamoderna.com

Sócio-fundador da Pipoca Moderna, colecionador de discos, apreciador de plantas, livros e churros.