Sabe aquele efeito que você gostava de colocar nas suas apresentações de escola, no qual as letrinhas apareciam girando na tela e você se sentia um verdadeiro gênio da tecnologia? Então, esse efeito, que serve para passar de um slide para outro, é o que chamamos de animação em apresentações. Essa é uma parte muito importante na apresentação, pois ela organiza a ordem de entrada das informações na sua tela, conduzindo ao olhar da audiência para onde você quer. A intenção desse post é te mostrar o que é uma apresentação bem animada, o que é recomendável fazer e o que não é. Sutilidade Isso deve definir a animação da sua apresentação. Aquela ideia de colocar as letrinhas girando era legal só nos tempos de escola, agora, discrição é essencial para a animação da sua apresentação. Entenda o porquê disso. A animação serve para suavizar a transição...

Estava demorando pra sair um post com esse filme, não é verdade? Pois bem, Poderoso Chefão é uma das franquias mais famosas de todos os tempos e pode nos ensinar muitas coisas, como por exemplo, qual caminho você deve traçar para se tornar um chefão da máfia e o mais importante, como melhorar as suas apresentações em slides. “Na mesa, não se discute negócios”. Era o que dizia o sábio Don Corleone quando algum dos seus filhos tentava falar sobre os negócios durante o jantar, pois esse era um momento sagrado com a família e isso tinha que ser respeitado. Porém, mudaremos um pouco a frase para o contexto das apresentações: “No palco, não discutimos apenas negócios”. Por mais que o foco da sua apresentação seja estritamente corporativo, cheio de gráficos e etc, ficar só na parte teórica vai torná-la chata e não vai motivar seu público....

Batemos muito na tecla da produção de conteúdo aqui no blog. Te damos dicas e mais dicas de como enriquecer sua apresentação, torná-la mais atrativa, inteligente, organizada e interessante. E ainda temos muitas para dar. Mas caros leitores, não podemos nos esquecer do design em apresentações. Em nossas vidas, somos guiados por ele, as marcas sabem como usá-lo para nos atrair, imagens e formas estão por todos os lados e geralmente elas guiam nossas escolhas. Alina Wheeler, no livro Design de Identidade de Marca nos mostra quais aspectos são importantes na criação de uma marca, em como sua aparência influência as pessoas, atrai clientes e os torna fiéis. Podemos muito bem usar essa mesma lógica para criar o design de nossas apresentações. Segundo Alina, um logo deve trabalhar com três fatores principais, e o mesmo vale pra nossa apresentação: Destaque: A identidade da sua apresentação deve ser diferente...

Louie é um seriado um tanto quanto diferente dos demais. Estrelado, dirigido e escrito pelo comediante Louis C.K, a série retrata crônicas cotidianas desse personagem criado por Louis (uma versão dele mesmo) que vive as situações mais estranhas e improváveis por Nova York. Vamos tentar aprender com Louie algo sobre apresentações profissionais. Seja diferente. Não estou falando apenas sobre apresentar um conteúdo novo e revolucionário, mas sim de dar a ele a sua cara. Não adianta ficar usando exemplos forçados, com os quais você não tem a mínima afinidade, ficar lá na frente, estático, nervoso, tentando escolher palavras que passam para as pessoas algo que você não é. Minha dica aqui é, a originalidade da sua apresentação consiste em ela ser a sua apresentação. Use exemplos sobre assuntos que você gosta, tanto músicas, quanto filmes, ou seja lá o que for. Seres humanos não são iguais, explore suas individualidades,...

Já vimos aqui no blog várias estratégias de roteiro para apresentações, como a Jornada do herói (confira aqui), e também a de problemas vs soluções (leia mais). Porém, existem muitas outras estratégias que podem ser usadas na produção de um roteiro. Syd Field, é considerado o pai do modelo criado para se contar histórias nos filmes de Hollywood, e Nancy Duarte, uma pioneira no ramo de apresentações, analisou todo o trabalho de Field e o adaptou para o ramo de apresentações. Vamos conferir aqui o resultado desse trabalho. Segundo Field, uma boa história é contada em 3 atos: começo, meio e fim. Esse modelo foi inicialmente criado por Aristóteles e Field o adaptou para a narrativa cinematográfica. Cada ato consiste no seguinte: Primeiro ato: os personagens, suas relações e o contexto no qual estão inseridos são apresentados. Descobrimos também quem é herói da trama e qual é...

Inspirados pelos novos filmes da franquia Planeta dos Macacos que foram lançados recentemente, resolvemos voltar um pouco no tempo e ver o que podemos aprender para melhorarmos nossas apresentações em PowerPoint com o filme clássico de 1968 que revolucionou o cinema. Tenha um conteúdo relevante e original. Quando as pessoas vão assistir a uma apresentação, elas esperam aprender alguma coisa com ela, algo útil, uma visão diferente sobre algum assunto, enfim, elas querem novidades. Por mais que você pense que a sua ideia seja realmente original e que agregara alguma coisa para as pessoas, saiba apresentá-la de uma forma que deixe isso claro. No filme Planeta dos macacos por exemplo, para criticar uma sociedade intelectualmente arcaica que não aceitava a teoria do evolucionismo, eles contaram uma história invertendo o papel de humanos e macacos na teoria evolutiva. Analisando as coisas por essa perspectiva totalmente diferente, a crítica...

Que estamos vivendo em um mundo onde temos cada vez menos tempo e a cada dia, uma maior quantidade de escolhas para fazer, todo mundo sabe. A novidade trazida por Seth Godin em sua palestra, é como um produto, ou uma ideia nova, consegue se destacar dentro dessa realidade. Vamos aqui analisar o discurso de Seth Godin e qual linha de raciocínio ele usa para chamar atenção do seu público. Use um exemplo comum Quem nunca ouviu falar de pão fatiado? É exatamente contando a história de seu inventor, Otto Rohwedder, que Seth introduz o assunto do qual vai falar. Exemplificando o fracasso do inventor, ele torna mais tangível sua tese, de que não adianta nada seu produto ser inovador se as pessoas não souberem que ele existe e não terem vontade de comprá-lo. Busque dar um exemplo simples e cotidiano para introduzir um assunto complexo. Analogias Por mais...

Guardiões da Galáxia é o novo filme da Marvel que faz qualquer marmanjo sair do cinema com um sorriso bobo na cara. Eu fui um desses. Então pensei, por que não usar esse filme para aprender alguma coisa e para se questionar, será que podemos usar a comédia em apresentações? A comédia é uma ótima ferramenta. Não estou dizendo para você incorporar o espírito da Turma do Didi e subir no palco, mas todo mundo tem alguma história engraçada pra contar. E elas podem ser usadas com um propósito. Quebrar o gelo e usar uma simples narrativa como exemplo, pode facilitar muito para a plateia entender o que você está falando. Histórias cotidianas mesmo, aquelas pelas quais todos mundo já deve ter passado, ou conhece alguém que já passou são as melhores. Elas geram identificação, risadas e o melhor, fazem crescer no público uma empatia por você. Em Guardiões da Galáxia, vemos assuntos...

O ser humano sempre se apresentou. Apresentações não são exclusivamente corporativas, e não surgiram junto com os escritórios, ternos e gravatas. O ato de apresentar sempre foi usado para contar histórias, para entreter e principalmente para convencer e é usado hoje com as mesmas intenções, só que aprimoradas e adaptadas para o nosso tempo. No post de hoje vamos fazer uma análise histórica das apresentações, para aprendermos com o passado e melhorarmos nossas apresentações. Primordialmente, o ser humano se comunicava por meio de expressões corporais e ruídos. A comunicação era completamente intuitiva, feita no grito e pela imposição física. Ainda temos esse nosso lado irracional ativo, portanto ainda damos muita importância para a linguagem corporal, respeitamos aqueles que sabem se impor e passar respeito pela forma que apresentam. Com o tempo surgiram as palavras, e até a linguagem visual – pinturas rupestres – que serviam para...

Aqueles que já assistiram Kill Bill sabem que o filme se trata de uma história de vingança. Bill é um homem possessivo e egoísta que comanda um grupo de assassinos, a Deadly Viper Assassination Squad. Ele era amante de uma das integrantes do grupo, a Beatrix Kiddo, também conhecida como Mamba Negra. Beatrix, durante uma missão descobriu que estava grávida, e quis dar um futuro melhor para o filho que estava carregando, saindo então do grupo de assassinos, deixando Bill e indo viver numa cidadezinha no Texas onde ia se casar e ser feliz. Bill porém (se você não viu o filme, lá vem spoiler) acaba tendo uma crise de ciúmes e aparece em pleno no dia do casamento de Beatrix, ordenando que a guilda de assassinos mate todos no casamento dela, e ele mesmo coloca uma bala na cabeça da noiva. Vamos ver quais...