Ele foi considerado o pai dos filmes de suspense, dirigiu grandes clássicos como Psicose, Os Pássaros e Vertigo. Fazer apresentações é saber contar histórias visualmente, exatamente como fazem os filmes. E o suspense pode ser uma arma poderosa para manter a atenção do seu público durante uma apresentação. Portanto, nada melhor de tentarmos aprender com Hitchcock. Mantenha seu público curioso. Uma das formas de Hitchcock inovar a forma de fazer suspense no cinema, foi usando posições e movimentos de câmera diferentes. Nas apresentações, substituímos a câmera pelos slides, e por eles criamos essa ideia de suspense. Pense que o suspense criado em uma apresentação é diferente do criado nos filmes. Quando assistimos algo do gênero suspense, ficamos apreensivos, agoniados e ansiosos. Já na apresentação o suspense serve para manter a concentração do público, para deixá-los curiosos e para mantê-los pensando. Isso pode ser feito pelo uso de...

Apresentações também são uma forma de ilusionismo. Não no sentido negativo da palavra, de iludir e enganar o público. Mas sim, que durante aqueles minutos que estamos no palco, temos que fazer o público esquecer do mundo, dos seus problemas cotidianos e nos ouvir, entrar conosco em uma jornada, quase que magicamente. Então nada melhor do que se inspirar em um ilusionista como Georges Méliès, que aplicou seus conhecimentos em magia no cinema se tornando o pai dos efeitos especiais. Vamos tentar incorporar um pouco da forma de Méliès fazer cinema, para criar magia nas apresentações. O poder das imagens. Uma das formas de atrairmos o público e entretê-los com a nossa apresentação é por meio dos nossos slides. Pense que suas telas devem sustentar sua fala, tangibilizar seus argumentos, ajudar a despertar a imaginação do público e que, ficar colocando enormes textos nos slides só...

Hoje vamos falar sobre os slidocumentos, termo criado por Garr Reynolds, e porque o seu uso deve ser abolido da história da humanidade. Primeiramente vamos pontuar o que são esses tais de slidocumentos. Eles consistem em slides fundidos com documentos, cheios de textos feitos para serem compreendidos sem a presença do seu orador. Vamos agora entender porque isso mata a sua apresentação. Algumas vezes, temos que desenvolver apresentações mais rebuscadas, que necessitam de um profundo embasamento teórico, de dados e gráficos que sustentem nossos argumentos. Com a ilusão de estar matando dois coelhos com uma cajadada só, alguns apresentadores colocam nos seus slides diversas caixas de texto, gráficos e todos os dados de referência necessários. Então, os imprime e distribui para o público os mesmo slides que serão usados na apresentação. Por favor, pelo bem do seu público, não faça isso. Primeiro que o nosso cérebro tem...

A Felicidade Não Se Compra (It´s a Wonderful Life) é um filme de 1946, dirigido por Frank Capra que além de ser muito emocionante, tem muito a nos ensinar sobre apresentações profissionais. Toda Informação colocada na sua apresentação é relevante. Temos a mania de não levar em conta alguns detalhes do nosso discurso quando nos apresentamos. Sempre adicionando uma informação aqui, outra lá, achando que os 2 segundo que você vai levar para falar aquilo não influenciará em nada na apresentação como um todo. Mas é ai meu caro, que mora ao perigo. Ornar demais a apresentação, até mesmo no seu conteúdo, pode fazê-la perder sua objetividade e pode dissipar sua mensagem principal no meio dos “inofensivos” adendos. Como prevenir isso? Primeiro você tem que fazer um roteiro mais detalhado da sua apresentação, não apenas tópicos para lembrar o assunto do qual você vai falar, mas...

Os Bons Companheiros (GoodFellas) é um filme dos anos 90 dirigido por Scorsese que conta a história de três amigos gangsters: Henry, Tommy e Jimmy, e tem muito a nos ensinar sobre apresentações. Saiba como reagir à plateia. Existe sempre a possibilidade de alguém na plateia estar lá só pra te avaliar e pretendendo medir forças com você. Geralmente essas pessoas param a sua palestra ou workshop para tentar contrariar seus argumentos, ou interrompem constantemente sua apresentação, fazendo com que sua linha de raciocínio perca o ritmo. É lógico que você tem que manter a calma e nunca tentar medir forças, sempre responder da maneira mais breve e educada possível, assim, você acaba conquistando uma maior confiança do público, pois você soube responder a um contra-argumento, fortalecendo seu discurso. “Mesmo que um membro da audiência escolha assumir o papel de “oponente”, sua irritação ou qualquer demonstração...

Falamos a todo momento sobre a forma “ultrapassada” de se fazer apresentações e da ideia de que estamos criando uma nova. Porém, o que foi que aconteceu? O que no meio do caminho fez alguém parar pra pensar sobre a forma de fazer apresentações e descobrir que elas poderiam ser melhores? O que, socialmente, levou a necessidade dessa transformação? Falaremos hoje sobre o best-seller escrito por Daniel Pink (o cara da foto), O Cérebro do Futuro. Nele, Pink fala sobre as novas aptidões necessárias para se destacar profissionalmente e como a criatividade e a inovação viraram alvos de uma grande valorização. De como pessoas que conseguem gerar empatia, despertam emoções e sabem contar histórias estão conquistando o mercado e são o motor do setor corporativo atual. Essa nova visão contextualiza a necessidade de novos tipos de apresentações. Como o mercado mostrou precisar de pessoas mais criativas e...

Roger Corman é considerado o rei dos filmes B e foi mentor de diretores como Francis Ford Coppola, Martin Scorsese e James Cameron, sem falar que lançou atores como Robert de Niro, Jack Nicholson, entre outros. Acho que seria mais fácil mencionar aqueles em Hollywood que não trabalham com Corman. Mas o que esse cara tem para ensinar que faça com que você melhore suas apresentações? Apresente suas próprias ideias. Muitas vezes a insegurança de não saber falar bem em público, a vergonha, ou até mesmo a falta de preparo faz com que algumas pessoas fiquem muito resistentes a se apresentarem. Algumas até deixam suas ideias serem apresentadas por outras pessoas, para não terem que encarar o público. Porém, não adianta, ninguém vai conseguir passar adiante as suas ideias melhor do que você mesmo. Um dos pontos fortes de uma apresentação é o estabelecimento de uma...

De um livro chamado Made to Stick, em português: “Ideias Que Colam: porque algumas ideias pegam e outras não”, dos irmãos Heath podemos tirar algumas dicas chave do que fazer para que sua apresentação marque seu público e faça com que eles lembrem das suas propostas após levantarem da cadeira e voltarem para suas rotinas, ou seja, vamos aprender como fazer uma ideia colar. Simplicidade: Fica difícil para as pessoas guardarem sua ideia principal quando ela está escondida no meio da apresentação. Concentre-se em manter a simplicidade e deixar no seu discurso apenas o que é essencial. Afinal de contas, aonde você quer chegar com a sua apresentação? Qual é o seu objetivo principal? É nisso que você deve focar. Imprevisibilidade: Surpreender e deixar o público curioso é a chave para manter todos atentos ao seu discurso. Mas como fazer isso? Mostrar para a plateia que ela não sabem...

Com uma das melhores performances do nosso grande Al Pacino já vistas, Scarface conta-nos a história de Tony Montana, um imigrante cubano, pra lá de encrenqueiro que se mudou pros EUA buscando vencer na vida, o que incontestavelmente, ele fez. Vamos ver o que podemos aprender com Tony no quesito apresentações e ver algumas dicas para falar em público. Tenha confiança no seu conteúdo. Você tem que subir no palco acreditando no seu discurso, para então, conseguir fazer com que o público faça o mesmo. Há algumas maneiras de passar confiança, uma delas é pela sua postura. Mas tome cuidado para não ficar estático demais, você pode se mostrar confiante e calmo sem ficar parado, ande confortavelmente pelo palco, chame a atenção. Outra forma de passar confiança é dando algumas pausas na sua fala durante seu discurso. Assim, a plateia terá tempo de absorver as informações...

Se por acaso você se pergunta, toda vez que vê um post da Pipoca no Facebook, qual é a razão de ficar falando sobre filmes nesse blog de apresentações toda hora, irei hoje dar a resposta. É nos filmes, documentários e até quadrinhos onde podemos encontrar verdadeiras inspirações para fazer apresentações. Essas mídias conseguem contar histórias visualmente, ou seja, tudo o que deve ser feito numa boa apresentação. É inclusive verdade que você aprenderá mais sobre criar apresentações vendo um filme do que comprando um livro qualquer sobre o assunto. E é isso que venho, há algum tempo, tentando mostrar pra vocês, porém agora irei provar. Slides não são documentos. Aquela velha mania de colocar nos slides o mesmo texto do seu discurso já morreu faz tempo. Ou pelo menos deveria. Em 2007 em um artigo que apontava os resultados de uma pesquisa feita na University...