Author: Eduardo Brunetto

Donnie Darko é um filme cult que acabou ficando muito famoso por ter um roteiro completamente inexplicável. Por mais que surjam muitos por ai dizendo que entenderam esse filme onde existe um garoto que fica conversando com um coelho macabro, vê feixes de luz saindo do peito das pessoas, e turbinas de aviões inexistentes caem na casa das pessoas, saiba que eles estão mentindo. Mas isso não nos impede de aprender como apresentar melhor nossas ideias com o filme. Reforce seus conceitos principais. Dentro de grandes apresentações é comum ouvirmos o palestrante repetir uma certa frase ou palavra inúmeras vezes para que o público a tenha guardada na memória. Geralmente essa frase ou palavra passa o objetivo principal do apresentador e a repetindo inúmeras vezes o público acaba lembrando dela facilmente depois que a palestra acabou. Em Donnie Darko, aquele coelho maldito, Frank, repete inúmeras vezes...

Você pode ter a melhor ideia do mundo, a solução para todos os problemas corporativos, mas de nada vai adiantar se você não souber explicá-la para as pessoas e não conseguir atrair investidores para tirá-la do papel. Portando, ai vão algumas dicas de apresentações para Startups. Seja o mais objetivo possível Você provavelmente terá pouco tempo para apresentá-la, portanto vá direto ao ponto e com mais clareza possível. É importante fazer com que o investidor ou cliente entenda perfeitamente qual é o seu objetivo e como você pretende colocá-lo em prática, algo tangível e fácil de compreender. Adote estratégias para ser mais claro É sempre bom dar perspectiva ao seu projeto. Ao invés de apenas jogar números e informações no ar, tente compará-los com empresas já existentes, fazer analogias com elas e a partir disso explicar como a sua empresa funciona. Comparações são sempre mais fáceis de se compreender. Esteja...

Mais um dos grandes clássicos de Tarantino irá nos ensinar alguma coisa sobre apresentações. Pulp Fiction não é necessariamente uma narrativa com começo meio e fim, mas sim uma série de eventos coligados que se esbarram numa linha do tempo bizarra. Vamos ver o que a sua apresentação tem a aprender com isso. Você não precisa começar pelo começo. Por mais absurdo que isso soe, faz sentido. Vou explicar. Para fazer uma apresentação, as pessoas tendem a montar uma linha de raciocínio cronológica com um começo, meio e fim, bem definidos. Para a maioria dos casos, isso funciona muito bem. Mas se você quer fazer algo diferente, e se o seu conteúdo permitir, você pode inverter as ordens, adaptando a sequência da sua fala conforme você acha que seja mais interessante para o público. Você não precisa ter fases bem definidas. É claro que, para fazer isso você tem que ter...

Fazer uma apresentação sobre um tema complexo sempre exige um maior preparo por parte do apresentador. Nesse vídeo, (para assistir é só clicar aqui) Ken Robinson fala sobre o sistema educacional mundial, e como a hierarquia de importância das matérias imposta pelas escolas limita e até reprime a expressão artística das crianças. Você já deve estar esperando assistir uma apresentação incrivelmente chata e cheia de termos técnicos, certo? Errado. Ken consegue expressar sua opinião de uma maneira cotidiana, engraçada e impactante. Tornando uma apresentação complexa muito interessante. Comece devagar Repare como ele não começa a apresentação falando de si, dizendo qual é o seu currículo e por que a sua opinião deve ser levada a sério. Ele contextualiza o tema de sua apresentação, pontua pontos importantes e usa como exemplo a própria conferência que está participando para exemplificar tudo isso. É sempre bom procurar exemplos que o público conheça,...

Quem nunca quis ser um astro do Rock? Chris era um desses caras que daria tudo para ser um. Tocava numa banda de tributo ao Steel Dragon e ele a levava realmente a sério. Até que um dia, foi chamado para realmente fazer parte da banda da qual ele era um grande fã, realizando seu sonho. Ok, mas o que isso tem a ver com apresentações? Tudo. Na verdade, isso ajudará para que você se apresente melhor. Não se deixe abalar quando você cometer algum erro durante uma apresentação. Erros acontecem e vão acontecer, é inevitável, porém o que você deve fazer é encará-los com naturalidade, e seguir em frente. Veja o caso de Chris, em seu primeiro show como vocalista do grande Steel Dragon ele cai um tremendo tombo justo na primeira música. O que ele fez? Levanta-se e continua o show. A gravidade do seu erro será imposta...

O ser humano é fascinado por histórias. Durante toda a nossa existência, fomos alimentados com narrativas e mais narrativas que além de nos encantar, ditavam a nossa forma de vida. Histórias são os maiores condutores de pensamento humano que já existiram. Desde a Grécia antiga, com Zeus vencendo Cronos, libertando seus irmãos devorados e dominando o mundo, até a idade média com o Deus que em sete dias criou o mundo, fez o homem do barro e a mulher de suas costelas as histórias formam a sociedade. Hoje, com a indústria do entretenimento, com o cinema, tv, teatro, internet e etc não é diferente. Eles nos contam histórias, colocam ideias em nossas cabeças, nos convencem e nos divertem. Não ficou claro ainda? O Storytelling, que nada mais é do que contar histórias, é uma poderosa arma para se fazer uma apresentação. Vou explicar o porquê. Quando...

Forrest Gump foi realmente uma figura notável. Conheceu o presidente dos Estados Unidos inúmeras vezes, foi a China jogar Ping Pong, lutou na Guerra do Vietnã e ganhou uma medalha de honra ao mérito por isso, formou uma grande corporação de pesca de camarão e correu pelos Estados Unidos inteiro, se tornando celebridade. De tudo isso, com certeza podemos aprender algo sobre apresentações. Busque referências para a sua apresentação. Por melhor que o seu argumento seja, sem algum exemplo da sua aplicação o público pode acabar achando sua ideia utópica. Para se livrar daqueles “legal a ideia, mas isso nunca ia dar certo”, busque exemplos e pesquisas que comprovem seu ponto de vista, fundamentando melhor a sua apresentação. Forrest Gump serviu de referência para muita gente, até mesmo para Elvis Presley. Vendo o garoto de pernas mecânicas se remexendo todo ao ouvir a sua música, Elvis ficou impressionado e resolveu levar...

Você já cocriou na sua vida? Por mais que o nome seja uma novidade, eu tenho certeza que já. Uma cocriação nada mais é do que criar algo em conjunto. A forma como isso é feito pode variar muito, mas a ideia central é a mesma, gerar ideias, tanto suas quanto minhas, e juntá-las. Geralmente, em agências, quando alguém contrata seus serviços para criar uma campanha, um nome ou algo do tipo, ele conversa com o profissional de atendimento que faz uma ponte entre cliente e agência. Dessa forma, quem solicita o produto só vai ver o resultado final, que pode destoar completamente do que ele tinha imaginado quando procurou a agência. No caso de apresentações, as chances de o cliente não receber aquilo que imaginava é muito mais comum. Resolvemos utilizar a cocriação como metodologia para acabar com esse problema. Fazemos uma reunião de 3 horas...

Existem vários erros comuns que as pessoas cometem ao fazer uma apresentação. Alguns desses erros estão bem evidentes no filme Trainspotting, que conta a história de quatro jovens irlandeses e sobre seu vício em heroína. Vamos ver o que aprendemos com eles sobre como não fazer uma apresentação. Não pense primeiramente nos slides e depois no seu conteúdo. É comum pessoas abrirem o Power Point para começarem a fazer a sua apresentação. Planeje tudo o que você vai falar primeiro, seus argumentos principais, seus fundamentos, e só depois pense em slides. Assim como existem essas pessoas viciadas em Power Point, Mark era viciado em heroína, mas ele percebeu que não iria a lugar nenhum na vida, e então largou o vício e começou a trabalhar. Tudo bem que depois ele e seus amigos resolveram vender drogas, mas o que importa é que ele tentou. Não seja viciado em...

Talvez você já deve ter tido uma ideia muito boa, algo que mudaria completamente o pensamento das pessoas em relação a um determinado assunto, mas não sabe como convencê-los de que você está certo. Usando como exemplo o vídeo da apresentação de Daniel H. Pink, onde ele mostra que oferecer recompensas não é a melhor forma de se incentivar pessoas, vamos aprender a apresentar ideias originais para as pessoas. Primeiramente chame a atenção. Daniel não vai direto ao ponto, ele conta uma história da sua vida pra gerar uma empatia com o público, e conta que ali no palco, vai invocar seus talentos remanescentes de advogado e propor a plateia um caso para ser resolvido. Ele deixa o público curioso e mais interessado. Agora que o gelo foi quebrado, é hora de apresentar a sua ideia. Usando um exemplo simples e fácil de entender, ele propõe a plateia um probleminha de raciocínio....