Author: Eduardo Brunetto

Já vimos aqui no blog várias estratégias de roteiro para apresentações, como a Jornada do herói (confira aqui), e também a de problemas vs soluções (leia mais). Porém, existem muitas outras estratégias que podem ser usadas na produção de um roteiro. Syd Field, é considerado o pai do modelo criado para se contar histórias nos filmes de Hollywood, e Nancy Duarte, uma pioneira no ramo de apresentações, analisou todo o trabalho de Field e o adaptou para o ramo de apresentações. Vamos conferir aqui o resultado desse trabalho. Segundo Field, uma boa história é contada em 3 atos: começo, meio e fim. Esse modelo foi inicialmente criado por Aristóteles e Field o adaptou para a narrativa cinematográfica. Cada ato consiste no seguinte: Primeiro ato: os personagens, suas relações e o contexto no qual estão inseridos são apresentados. Descobrimos também quem é herói da trama e qual é...

Inspirados pelos novos filmes da franquia Planeta dos Macacos que foram lançados recentemente, resolvemos voltar um pouco no tempo e ver o que podemos aprender para melhorarmos nossas apresentações em PowerPoint com o filme clássico de 1968 que revolucionou o cinema. Tenha um conteúdo relevante e original. Quando as pessoas vão assistir a uma apresentação, elas esperam aprender alguma coisa com ela, algo útil, uma visão diferente sobre algum assunto, enfim, elas querem novidades. Por mais que você pense que a sua ideia seja realmente original e que agregara alguma coisa para as pessoas, saiba apresentá-la de uma forma que deixe isso claro. No filme Planeta dos macacos por exemplo, para criticar uma sociedade intelectualmente arcaica que não aceitava a teoria do evolucionismo, eles contaram uma história invertendo o papel de humanos e macacos na teoria evolutiva. Analisando as coisas por essa perspectiva totalmente diferente, a crítica...

Que estamos vivendo em um mundo onde temos cada vez menos tempo e a cada dia, uma maior quantidade de escolhas para fazer, todo mundo sabe. A novidade trazida por Seth Godin em sua palestra, é como um produto, ou uma ideia nova, consegue se destacar dentro dessa realidade. Vamos aqui analisar o discurso de Seth Godin e qual linha de raciocínio ele usa para chamar atenção do seu público. Use um exemplo comum Quem nunca ouviu falar de pão fatiado? É exatamente contando a história de seu inventor, Otto Rohwedder, que Seth introduz o assunto do qual vai falar. Exemplificando o fracasso do inventor, ele torna mais tangível sua tese, de que não adianta nada seu produto ser inovador se as pessoas não souberem que ele existe e não terem vontade de comprá-lo. Busque dar um exemplo simples e cotidiano para introduzir um assunto complexo. Analogias Por mais...

O ser humano sempre se apresentou. Apresentações não são exclusivamente corporativas, e não surgiram junto com os escritórios, ternos e gravatas. O ato de apresentar sempre foi usado para contar histórias, para entreter e principalmente para convencer e é usado hoje com as mesmas intenções, só que aprimoradas e adaptadas para o nosso tempo. No post de hoje vamos fazer uma análise histórica das apresentações, para aprendermos com o passado e melhorarmos nossas apresentações. Primordialmente, o ser humano se comunicava por meio de expressões corporais e ruídos. A comunicação era completamente intuitiva, feita no grito e pela imposição física. Ainda temos esse nosso lado irracional ativo, portanto ainda damos muita importância para a linguagem corporal, respeitamos aqueles que sabem se impor e passar respeito pela forma que apresentam. Com o tempo surgiram as palavras, e até a linguagem visual – pinturas rupestres – que serviam para...

Aqueles que já assistiram Kill Bill sabem que o filme se trata de uma história de vingança. Bill é um homem possessivo e egoísta que comanda um grupo de assassinos, a Deadly Viper Assassination Squad. Ele era amante de uma das integrantes do grupo, a Beatrix Kiddo, também conhecida como Mamba Negra. Beatrix, durante uma missão descobriu que estava grávida, e quis dar um futuro melhor para o filho que estava carregando, saindo então do grupo de assassinos, deixando Bill e indo viver numa cidadezinha no Texas onde ia se casar e ser feliz. Bill porém (se você não viu o filme, lá vem spoiler) acaba tendo uma crise de ciúmes e aparece em pleno no dia do casamento de Beatrix, ordenando que a guilda de assassinos mate todos no casamento dela, e ele mesmo coloca uma bala na cabeça da noiva. Vamos ver quais...

Uma apresentação pode ter diversos objetivos. Seja passar uma ideia ou conceito para uma plateia, mostrar um novo produto, convencer pessoas, mas as que mais nos marcam são aquelas feitas para emocionar. Robin Williams era um mestre nessa arte e sempre conseguia nos transmitir muita emoção, talvez por isso muitos de seus filmes são lembrados com muito carinho pelos fãs. No post de hoje, como uma pequena homenagem ao grande Robin Williams, vamos ver o que podemos aprender sobre apresentações com ele. Mantenha-se fiel a sua ideia, mesmo que digam que ela não é boa. É sempre muito difícil conseguir apresentar algo original de uma maneira fácil para a plateia compreender o que você está falando. Se você realmente acredita na sua ideia, porém quando você a apresenta as pessoas dizem que ela é confusa e não tem como dar certo, não quer dizer que sua...

A revanche dos judeus sobre os nazistas é o tema principal de Bastardos Inglórios, um dos grandes filmes de Quentin Tarantino. Mas tirando a parte de tirar escalpos dos soldados nazistas, o filme pode ser muito instrutivo, dando várias dicas para melhorar a performance de vocês: apresentadores. Tome cuidado com a sua linguagem corporal. Nós falamos com o corpo tanto quanto com a boca. Nossa postura indica nosso tom em relação ao assunto, e também delata o quão nervoso estamos. Então, durante uma apresentação, não tente ficar incorporando uma outra persona, estufando o peito e cruzando os dedos sobre a barriga, haja naturalmente, caminhe um pouco, faça-se confortável. Se você naturalmente estufa o peito e cruza os dedos sobre a barriga, desculpe o comentário, pode fazer isso também, apenas não force nada. Para mais dicas leia nosso post sobre linguagem corporal, clicando aqui. Linguagem corporal pode até te matar, como...

Qual é o grande segredo dos filmes, séries de tv e principalmente novelas, para conseguirem prender nossa atenção da maneira como fazem? Elas contam uma história que logo em seus primeiros minutos, ou capítulos no caso de uma novela, nos apresenta um conflito, um problema, e só o soluciona no final, fazendo-nos esperar, dando falsas soluções, e prendendo nossa atenção até onde conseguirem. Portando agora, darei dicas de roteiro baseado nesse método para você melhorar a sua apresentação. Parece simples, mas comece a assistir filmes e novelas com essa visão. Capitão América 2 por exemplo, já nos primeiros 20 minutos, o Capitão Steve Rogers começa a duvidar da integridade dos órgãos do governo e começa a pensar que ele não está fazendo o bem ao obedecer esses órgãos. Só no final, é que vamos descobrir que realmente existia algo de errado, quem é o culpado e...

Já foram lançados 2 filmes da franquia de O Hobbit, inspirados em um livro de mesmo nome que serve como prelúdio para O Senhor dos Anéis. Dirigidos por Peter Jackson, esses 2 filmes podem nos ensinar muito sobre apresentações, e esperamos ansiosamente pelo terceiro que teve um trailer lançado semana passada, que com certeza fará o mesmo. Dê pausas durante as suas apresentações. É comum vermos alguns palestrantes ficarem tão nervosos durante uma apresentação que começam a disparar informações como uma metralhadora. O público não tem tempo de absorver nada, portanto para de prestar a atenção e percebe claramente que o palestrante está nervoso. Peter Jackson usou no primeiro filme de alguns artifícios para quebrar um pouco o ritmo de aventura e te deixar respirar de vez em quando. Logo no começo do filme, quando os anões entoam uma canção, “The Misty Mountain Cold” na sala...

Existem inúmeras estratégias que podem ser usadas na construção de um roteiro. Uma delas é a chamada Jornada do herói. Geralmente usada para filmes com a função de gerar empatia entre protagonista e público, ela foi adaptada para apresentações colocando a plateia como o herói e a fala do apresentador sendo a jornada. Vamos aqui usar como exemplo o clássico Star Wars episódio IV, Uma Nova Esperança, e entender passo a passo como conduzir o público. Mundo Comum – Luke quer entrar para a academia e ajudar a derrotar o Império do Mal, mas percebe que não terá nenhum futuro morando na fazendo dos seus tios. – Na vida real, aqui você problematiza realidade, apresenta como seria o cenário ideal e pontua todos os obstáculos para alcançá-lo. Chamado para a aventura – R2D2 mostra a Luke a gravação da princesa Leia pedindo ajuda, e o garoto fica realmente tocado pela...