Author: Eduardo Brunetto

Nesse blog temos páginas e páginas de dicas de apresentações. Na internet e em outros blogs por aí então, o que não falta é dica. Mas, nesse post, tentaremos condensar, resumir e facilitar as coisas para você com algumas dicas infalíveis para melhorar a sua apresentação. Se você quiser se aprofundar em cada uma delas, vou deixar alguns links pra vocês. Veja mais apresentações:  Não adianta, é preciso referência. Se você quer melhorar suas apresentações, você tem que ver mais apresentações. E não só isso, analisá-las, desconstrui-las e entender porque algumas são boas e outras são ruins. Pra sua sorte, aqui no blog a gente já analisou diversas apresentações. Tire um tempinho e absorva novas técnicas. Como enxergar além da rotina Como decorar seu discurso Porque a forma de fazer apresentações mudou Escreva sua apresentação:  Pra você conseguir visualizar e entender toda a sua apresentação você precisa escrevê-la. Só assim você vai...

É comum a gente dar aquela viajada enquanto assiste uma apresentação. Lembramos de todos os problemas que temos para resolver, da planta que esquecemos de regar, da mãe que esquecemos de retornar a ligação, tudo isso pipoca na nossa cabeça e temos que nos esforçar para ouvir aquele cidadão que se esforça pra nos dizer alguma coisa. Pois é, mas existem situações em que nós somos aquele cidadão, e nos perguntamos se as pessoas estão prestando atenção, ou se estamos falando sozinhos. Aqui vão algumas dicas para conseguir prender a atenção do seu público durante uma apresentação. Prepare um conteúdo que faça sentido: Onde a sua apresentação quer chegar? Qual é o seu objetivo com ela? O que você quer passar para as pessoas? Se você sabe responder essas perguntas, pense que tudo o que você disser na sua apresentação deve servir para sustentar isso. Você precisa...

É, eu sei, no último post em que falei sobre algum filme, falei sobre Interstellar. Um filme sobre viagem espacial, astronautas e diversas outras semelhanças com esse que vou falar agora: “Perdido em Marte”. Fazer o que se Hollywood não tem criatividade...

Você aí que mata uma apresentação por dia, que está constantemente trabalhando com essa mídia e sente que precisa de ajuda. Você que quer melhorar suas apresentações e está sempre por aqui no blog e em diversos outros blogs que falam sobre apresentações, mas nunca acha que aprendeu suficiente. Você é dos meus. E como eu sei que existem vários livros meia boca sobre apresentações por aí, vou passar aqui alguns livros sobre apresentação que me ajudaram muito a começar a entender mais sobre o assunto e podem ser muito úteis para você também. Não vou passar nenhum livro que saiu ontem e tem as últimas tendências, mas sim um conteúdo fundamental, atemporal e muito informativo.  Então, aproveite as dicas e se possível, adquira os livros. O primeiro livro a ser indicado é o “Ressonância”. Nancy Duarte é CEO da Duarte Design, a maior empresa de...

Gravidade, buraco negro, viagem no tempo, mistérios do universo e todos os elementos clássicos de uma boa ficção científica estão misturados em Interstellar. Ele já foi lançado há algum tempo, mas teve um delay aí pra todo mundo entender o filme e descobrir como ele é interessante e que tem muito a ensinar sobre apresentações (essa última característica acho que apenas eu descobri). Fiz isso revendo o filme nesse fim de semana, e enquanto mil fichas caiam na minha cabeça, minha companheira de sessão babava pela quarta dimensão do tempo e espaço. Então, saiba desse risco ao embarcar nessa expedição pela nerdice que é Interstellar. Mas falando do que interessa, vamos ver o que podemos aprender com esse filme sobre apresentações. Uma das teorias que sustenta a trama toda é a teoria da relatividade. Atenção para o telecurso Pipoca: relatividade é uma teoria criada por Albert...

Não dá pra negar que histórias são poderosas armas de comunicação. Elas foram a única forma de passar conhecimento por muito tempo, e hoje são usadas por empresas para criar engajamento, identificação e gerar um vínculo emocional entre companhias e clientes. Esse uso das histórias como ferramenta de engajamento não tende a mudar, muito pelo contrário, o que aparenta estar mudando é a forma de usar essa técnica. Uma grande maioria das empresas usam o Storytelling hoje em dia. Geralmente elas contratam um serviço especializado, na maioria da vezes de publicidade, para criarem histórias que encantem o público e ajudem a criar uma identidade para marca no mercado. Até aí é tudo muito lindo, bonito e feliz, mas como a gente não é nem um pouco inocente (como já dizia o compadre Washington) sabemos que muitas dessas histórias contadas pelas empresas não se aplicam no...

Às vezes é difícil deixar as coisas claras para o público. Você tem ideias muito boas, mas de forma nenhuma, elas parecem entrar na cabeça das pessoas. E depois da apresentação, seu público tem dificuldades em dizer em qual língua foi feita a apresentação: “Ela tava falando em grego, latim ou hebraico? Não sei ao certo, só sei que não entendi nada.” Pois bem, pra tentar te ajudar com isso, vou falar sobre o uso de analogias em apresentações e como isso poder útil para facilitar a sua comunicação. Primeiramente, a nossa memória funciona muito bem com associações (já falei sobre isso e tem um TED todinho direcionado a memória) e analogias nada mais são do que criar associações entra assuntos diferentes. Achar semelhanças entre coisas que aparentemente não têm muito a ver. Mas que na verdade têm! E criando esses ganchos você facilita a compreensão...

Aqui no blog, a gente já falou sobre a história das apresentações, porém não focamos em um assunto muito importante e que é vital nessa linha do tempo: os slides. É só vendo como, porque e da onde alguma coisa surgiu para conseguirmos compreender a sua real função. E essa é a intenção do post de hoje, explicar para que servem os slides da sua apresentação. Como dito no post sobre a história das apresentações, as pessoas sempre se apresentaram. Na Grécia e em Roma, as pessoas apresentavam suas ideias, seus pontos de vista e todas suas filosofias sem nenhum tipo de apoio visual. Nas ágoras ou no senado, a todo momento você tinha alguém dando sua opinião sobre algum assunto sem nenhuma tela de PowerPoint por perto. Isso fazia das apresentações deles piores que as atuais? Não necessariamente. Por saberem que só tinham suas palavras...

O movimento Punk diz ter salvo o rock da morte. Se isso é verdade ou não, não cabe a nós discutir aqui. Mas o que vamos discutir é como o movimento Punk pode nos ensinar algo sobre apresentações. Não, não vou falar sobre o João Gordo, fique tranquilo. A ideia desses posts sobre música é ver como movimentos culturais e sociais são capazes de influenciar pessoas e disseminar ideias. E apresentações têm justamente esse objetivo: influenciar pessoas e disseminar ideias. Então, saber como isso acontece naturalmente na sociedade, tanto na música quanto no design, (falamos sobre a história do design também) pode nos dar ótimos insights para criar apresentações. O Punk surgiu como uma renúncia ao rock progressivo. Aqueles solos de 15 minutos do Pink Floyd, ou aqueles shows do Led Zeppelin não faziam nenhum sentido para jovens da periferia urbana, que ganhavam pouco, usavam calça...

Esses dias, resolvi rever alguns dos filmes que tenho aqui no meu computador em uma pasta chamada: “OsMelhores”. Mas eu nem faço ideia porque alguns filmes foram parar lá, como era o caso de O Vencedor (2010). Mas quando o filme acabou, foi fácil me lembrar porque ele alcançou seu lugar de prestígio naquela pasta e também como dá pra aprender várias técnicas de roteiro de apresentações com ele. “O Vencedor” conta a história de Mickey Ward, um boxeador que foi campeão mundial, mas que penou muito pra chegar até o título. Isso por causa do seu irmão, um ex-boxeador viciado em crack que era seu corner, e por sua mãe, que era também sua gerente, mas só colocava o guri em lutas ruins. No filme, nós acompanhamos a carreira de Mickey em um momento de crise, e vemos ela ir por água abaixo, mas só...