Perdido nas Apresentações

Perdido nas Apresentações

É, eu sei, no último post em que falei sobre algum filme, falei sobre Interstellar. Um filme sobre viagem espacial, astronautas e diversas outras semelhanças com esse que vou falar agora: “Perdido em Marte”. Fazer o que se Hollywood não tem criatividade…e se eu gosto desse tipo de filme? Bom, o que me resta é descobrir o que eu posso aprender sobre apresentações com eles e passar isso aqui para vocês. Relaxa que não vou soltar nenhum spoiler sobre o filme, mas tem a minha opinião sobre ele, o que pode criar expectativas, ou discordâncias, caso você já tenha assistido. Mas enfim, agora que já está avisado, tente aproveitar as dicas, pois como já dizia o mais notável dos extraterrestres, ET Bilu: “Busquem conhecimento.”

A História do filme é a seguinte: um grupo de astronautas foram habitar e estudar Marte por um tempo, mas acabaram tendo que lidar com alguns imprevistos e sair correndo de Marte, porém um dos tripulantes acabou ficando para trás, e foi considerado morto. Mas é claro, precisamos de uma história, então o cara não morreu, e agora, precisa sobreviver sozinho em Marte. E aqui vem nosso primeiro aprendizado sobre apresentações. Não fique falando muito só de você mesmo, e da sua empresa. As pessoas cansam quando se deparam com uma demonstração de superioridade e não uma apresentação que se preocupa em passar algum tipo de conhecimento. “Somos a melhor empresa do mercado”; “temos os melhores valores”; “meu networking é incrível.” Ok fera, mas vamos com calma. Se sua empresa é mesmo a melhor do mercado, o que comprova isso? Qual é a sua história? Qual é o contexto do mercado? Me prove, não apenas me conte. Porque no fim das contas, é bem melhor que eu conclua que a sua empresa é a melhor do mercado, do que você simplesmente me contar. E o que isso tem a ver com o filme? Na minha humilde opinião, esse protagonista era tão foda que não deu nem pra se identificar.

Segunda dica do dia: piadinhas nem sempre salvam uma apresentação. Já falei inúmeras vezes aqui como a comédia pode ser uma poderosa ferramenta para a sua apresentação, mas ela não é suficiente. Quer dizer, a não ser que sua apresentação seja um stand up, aí tudo bem. Mas caso não for, concentre-se mais nos seus argumentos e nos seus fundamentos, e como construir a sua linha de raciocínio. Só então, em um segundo momento, veja quando o público precisa dar uma relaxada, e encaixe alguma tirada engraçada ou uma história mais interessante. Mas sempre tente vincular isso com seu conteúdo. Tudo na sua apresentação deve estar interligado. E de novo a pergunta, o que isso tem a ver com o filme? Bom, ele é muito engraçado e tem ótimas piadas. Mas isso não o salvou de ser completamente previsível e ser descaradamente uma propaganda da NASA e do poder da ciência para a humanidade. Foi engraçado, mas pra mim, não foi o suficiente.

Muita gente gostou do filme e estou correndo riscos com esse texto aqui. Mas como eu disse, foque nas dicas sobre apresentações: não seja o cara chato que só fala de você mesmo, e saiba quando e como usar uma piada na apresentação, elas são um tipo de sobremesa e não o prato principal. Mas por favor, assista “Perdido em Marte” e me diga se você não adivinhou o final.

Eduardo Brunetto
du@pipocamoderna.com