Pipoca Moderna | Melhore suas apresentações com Roger Corman
1375
post-template-default,single,single-post,postid-1375,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Melhore suas apresentações com Roger Corman

Roger Corman é considerado o rei dos filmes B e foi mentor de diretores como Francis Ford Coppola, Martin Scorsese e James Cameron, sem falar que lançou atores como Robert de Niro, Jack Nicholson, entre outros. Acho que seria mais fácil mencionar aqueles em Hollywood que não trabalham com Corman. Mas o que esse cara tem para ensinar que faça com que você melhore suas apresentações?

Apresente suas próprias ideias. Muitas vezes a insegurança de não saber falar bem em público, a vergonha, ou até mesmo a falta de preparo faz com que algumas pessoas fiquem muito resistentes a se apresentarem. Algumas até deixam suas ideias serem apresentadas por outras pessoas, para não terem que encarar o público. Porém, não adianta, ninguém vai conseguir passar adiante as suas ideias melhor do que você mesmo. Um dos pontos fortes de uma apresentação é o estabelecimento de uma conexão emocional entre apresentador e público. Quando temos uma ideia e realmente acreditamos nela, mesmo que inconscientemente, nos expressamos de uma maneira diferente ao falar dela para alguém, nos empolgamos e algumas vezes, surge até aquele brilho no olho, ainda mais se você for falar da sua empresa. Roger Corman começou sua carreira como roteirista. Quando vendeu seu primeiro roteiro e foi ao cinema conferir o resultado, ficou tão decepcionado que resolveu abrir sua própria produtora. Quer garantir que sua ideia tenha o tratamento que merece durante uma apresentação? Vá lá e apresente você mesmo.

Evite passar mensagens de uma forma explicita demais. As pessoas gostam de ficar intrigadas pela sua apresentação, o que não acontece se você entregar tudo mastigado. Caso você tenha uma mensagem, tente criar uma linha de raciocínio mostrando uma sequência de informações e argumentos que faça com que o público tire uma conclusão desejada. Sua apresentação ganha muito mais força quando o público é levado a pensar, e sem você precisar dizer, entender a sua mensagem. Claro que algumas vezes vale reforçá-la, para garantir sua fixação, mas não logo no começo da apresentação. Deixe eles curiosos por um tempo. Roger Corman se gaba dos mais de 400 filmes que produziu e realizou e diz que apenas 1 deu prejuízo.  The Intruder (1962), uma história antirracista com William Shatner, que segundo o próprio Corman, só deu errado porque ele foi explicito demais ao passar sua mensagem. Um erro que ele prometeu a si mesmo nunca mais cometer.

Com mais de 60 anos no ramo do cinema, com certeza, podemos aprender algo sobre apresentações com esse cara. Se você quiser ter certeza de que sua ideia será apresentada como você imaginou, só você pode garantir isso, e que fazer o público pensar durante a apresentação não é, de forma alguma, algo negativo. Ele pode ser o rei dos filmes B, mas nos ajudou a criar apresentações A.

Eduardo Brunetto
du@pipocamoderna.com