Pipoca Moderna | Erros cometidos em apresentações
1435
post-template-default,single,single-post,postid-1435,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Erros cometidos em apresentações

Apresentações são poderosas armas de comunicação, se usadas da maneira correta. No post de hoje vamos ver quais são os erros mais comuns cometidos em apresentações. Essas dicas servem para você fazer um autopoliciamento da sua performance desde antes da apresentação até o recebimento do feedback. Muitas dessas dicas vêm da nossa experiência na Pipoca quanto com o nosso relacionamento com nossos clientes, portanto, vale a pena prestar atenção:

Fazer uma apresentação sem realmente precisar dela

Na ânsia de buscar reconhecimento, de dar um passo à frente na empresa, de expor suas ideias as pessoas fazem apresentações sem pensar duas vezes se o seu conteúdo realmente vale uma apresentação. Você tem uma teoria ou uma ideia realmente consistente? Já procurou pesquisas que sustentem sua teoria? Já se informou se outras pessoas já tentaram aplicar algo parecido com o que você está pensando em apresentar? E qual foi o resultado? Muitas vezes, vale mais a pena marcar uma conversa, um café e apresentar sua ideia de uma maneira mais informal, analisar a reação e então partir para algo mais completo como uma apresentação em PowerPoint. É claro que isso também é um tipo de apresentação, e você deve pensar uma linha de raciocínio para seu discurso e tudo mais, mas o peso da responsabilidade de impressionar seu espectador não é assim tão grande.

Começar errado

Este é um momento em que muitas pessoas cometem erros. Alguns começam com uma descrição do currículo, ou com uma piada ruim. Ambos ineficazes. Sua principal preocupação deve ser parecer tranquilo e natural. Cumprimente as pessoas, diga seu nome, analise o público e quebre o gelo, dê a apresentação um tom de conversa, quem ditará isso é você, seu tom de voz e sua postura. Mas não comece com um história fora de hora, contanto como você quase se perdeu no caminho do banheiro até aquela sala, ou como o trânsito estava horrível, ninguém gosta de enrolação. A principal dica é: sinta a plateia. Veja o quão receptiva ela se mostra, caso você perceba que está cercado de pessoas sisudas e ansiosas pelo fim da sua apresentação, tente conquistá-los com seus argumentos e com a qualidade da sua apresentação.

Não ensaiar

Não tem como sua apresentação ter um bom resultado se você não enjoar de tanto praticá-la. Primeiro por que isso o tornará mais confiante. O nervosismo geralmente é causado pela falta de preparação e pelo medo de falhar. Certifique-se de que você não irá falhar, ensaiando, ensaiando e ensaiando. Isso também é o que dará mais ritmo a sua apresentação, dará a ela um tom de conversa. E isso é muito importante. Pois o tom de conversa desperta e interessa o seu espectador, afinal, você nunca dormiu no meio de uma conversa com uma pessoa, ou pelo menos não deveria. É um erro comum se perder na linha de raciocínio, esquecer o que ia falar, ficar nervoso, e então se perder completamente. É um ciclo vicioso. Para quebrá-lo, você precisa treinar.

Não contar histórias

Já ouvi dizer que apenas uma minoria de apresentações realmente comportam histórias, personagens e esse tipo de coisa, e que a maioria deve se preocupar com apenas uma coisa: trazer resultado. Bom, eu tenho algumas considerações. Acredito que para trazer resultado, sua apresentação deve impressionar, chamar atenção e interessar seus espectadores. Sinto muito, mas sem histórias, isso raramente é possível. É claro que existem apresentações que não precisam contar histórias para serem boas, mas eu acredito que a maioria delas ficaria melhor com uma. É preciso entender que histórias não são contos de fada, ou um roteiro hollywoodiano, mas são aplicações das suas ideias no cotidiano, elas são o seu fundamento, o que tornará sua apresentação tangível e interessante. É o que vai fazer o público se identificar com seu conteúdo, seja ele qual for. Pode ser o case de uma empresa que deu certo ou que não deu certo, um caso pessoal, o que você achar melhor. Storytelling é uma técnica muito poderosa e com muitas possibilidades, subestimá-la é um grande erro.

Desistir 

É comum após sua apresentação você distribuir algum tipo de formulário, ou disponibilizar na internet uma forma da plateia dar um feedback. Se você está começando deve saber, vão existir críticas ruins, bem ruins. Por mais difícil que isso seja, essas críticas não podem fazê-lo parar de se apresentar nem desacreditar no seu conteúdo. Ninguém se torna um bom apresentador da noite pro dia, e um dos principais fatores que impede as pessoas de se tornarem um, é desistir pelo medo da falha, ou por não saber lidar com ela. A falha faz parte e ela vai ocorrer, deve ocorrer. Faz parte da sua evolução. É claro que você deve tentar evitá-los, mas não se desespere quando cometer erros, aprenda com eles e não os repita mais.

Esses são alguns pontos que devem ser considerados a respeito de apresentações. Você não precisa seguir a risca as indicações, nem deve, sinta o que lhe é útil e utilize do seu jeito, mas vale a pena prestar atenção em algum dos pontos abordados nesse post. Não deixe de ler mais posts, outros blogs, comparar opiniões e formar a sua. Aliás, essa foi mais uma dica.

Eduardo Brunetto
du@pipocamoderna.com