Pipoca Moderna | Como tornar sua apresentação mais relevante
1432
post-template-default,single,single-post,postid-1432,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Como tornar sua apresentação mais relevante

Birdman (2014) é um filme americano escrito, dirigido e produzido por Alejandro González que tem como principal objetivo criticar tudo o que esteja relacionado a Hollywood: seja os críticos que colocam seus interesses pessoais à frente da verdade, da insana busca por fama e prestígio dos atores, do estilo de vida mentiroso que é vendido na mídia, entre outras coisas. Apresentações são muito mais parecidas com filmes do que você pode imaginar. Em ambos, argumentos e fundamentos são expostos para propor uma crítica, uma reflexão, um ensinamento ou apenas para entreter. Portanto, você pode ver filmes e com eles aprender a melhorar suas apresentações. No caso de Birdman, o filme pode te mostrar como tornar sua apresentação em PowerPoint mais relevante.

Você deve selecionar seus argumentos. O que isso quer dizer? Tudo o que você falar na sua apresentação é relevante para a plateia e guiará a linha de raciocínio deles. Portando, é de vital importância que você construa seu roteiro completo e então elimine todas as informações que se desviam do objetivo principal da sua apresentação. Como dizia Drummond, “escrever é a arte de cortar palavras”. Retire adendos, não quebre sua linha de raciocínio apenas para adicionar uma curiosidade, a não ser que ela seja relevante, então você deve encaixá-la de uma maneira contínua no seu texto. Como assim, contínua? Sua apresentação deve ter seus argumentos sempre conectados, fazendo claramente uma coisa levar a outra, guiando a plateia para onde você quer chegar. Por isso é tão importante saber selecionar bem seus argumentos, para garantir que a plateia não se perca no meio do caminho, para não confundi-los com informações irrelevantes em demasia. Usando Birdman como exemplo, acompanhamos a história de Riggan Thomson, um cara que antigamente era uma estrela do cinema por interpretar um herói de quadrinhos e hoje, tenta se provar um verdadeiro artista escrevendo, dirigindo e atuando em uma peça na Broadway. Riggan apesar de ser o personagem principal não constrói todas as críticas que mencionei sozinho, cada personagem ali tem uma função bem clara, cada um representa um estereótipo que ajuda a construir o filme e sua crítica. Pense em seus argumentos como personagens de uma história, se eles não estivessem presentes, fariam falta?

O visual da sua apresentação fortalece seus argumentos. Precisamos pensar que nossos slides são como as cenas de um filme e o nosso discurso é como a fala de seus personagens. Ambos têm que combinar, se relacionar e se completar, portanto, é necessário todo um estudo e preparação para criar os slides de uma apresentação. No caso de Birdman, o filme usa algo que parece, mas não é, um plano sequência, com cortes imperceptíveis e um ritmo constante de cenas. “Estilo e Conteúdo fazem parte de um casamento. Eu sabia que precisaria de algo diferente para o público penetrar na mente do protagonista.” Afirma o diretor do filme. O mesmo vale para a sua apresentação. Dependendo do seu objetivo, um estilo visual especifico deverá ser criado.

Apresentações tem um incrível poder de despertar mudanças, mas primeiro as pessoas precisam entendê-las e se sentirem interessadas por elas. Selecionando seus argumentos e combinando conteúdo com visual sua apresentação se torna mais assertiva, mais precisa e assim, mais relevante. Birdman fala sobre a constante procura por reconhecimento e relevância, e apresentações, de certa forma, procuram a mesma coisa. Serem relevantes para o seu público, e com isso, trazer reconhecimento para o apresentador. Acho que esse é outro grande motivo para você que faz apresentações constantemente assistir ao filme e ver no protagonista que estreará sua peça, a mesma angústia que alguém passa na hora de subir no palco e fazer uma apresentação.

Eduardo Brunetto
du@pipocamoderna.com