Pipoca Moderna | Como fazer uma ideia colar?
1372
post-template-default,single,single-post,postid-1372,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Como fazer uma ideia colar?

De um livro chamado Made to Stick, em português: “Ideias Que Colam: porque algumas ideias pegam e outras não”, dos irmãos Heath podemos tirar algumas dicas chave do que fazer para que sua apresentação marque seu público e faça com que eles lembrem das suas propostas após levantarem da cadeira e voltarem para suas rotinas, ou seja, vamos aprender como fazer uma ideia colar.

Simplicidade: Fica difícil para as pessoas guardarem sua ideia principal quando ela está escondida no meio da apresentação. Concentre-se em manter a simplicidade e deixar no seu discurso apenas o que é essencial. Afinal de contas, aonde você quer chegar com a sua apresentação? Qual é o seu objetivo principal? É nisso que você deve focar.

Imprevisibilidade: Surpreender e deixar o público curioso é a chave para manter todos atentos ao seu discurso. Mas como fazer isso? Mostrar para a plateia que ela não sabem de tudo é um começo. Mostrar uma nova visão, uma perspectiva que eles ainda não tenham pensado a respeito e aos poucos ir suprindo a falta de conhecimento deles sobre o assunto.

Concretude: Use exemplos reais e mostre cases. Já citamos várias vezes a importância da fundamentação na sua apresentação, pois caso você falhe nisso, as pessoas podem achar suas propostas utópicas.

Credibilidade: Enquanto damos concretude por meio de exemplos, aqui temos que usar dados. Buscar fundamentos mais técnicos, como números e pesquisas que mostrem que você não está baseando sua proposta na imaginação, mas sim conta com dados e estudos para te apoiar.

Emoção: Aqui entra a parte visual da sua apresentação. Por meio de imagens, você pode fazer com que a plateia “sinta” o que você está falando. Ela passa a se conectar com a sua apresentação de uma maneira totalmente diferente quando consegue a ver além de ouvir seu discurso. Bullet-points (os bons e velhos tópicos) nunca darão essa mesma sensação.

Histórias: Aqui não tem muito segredo. Somos naturalmente contadores e ouvintes de histórias. Nós prestamos atenção numa história quando começamos ao ouvi-la, não precisamos nem fazer esforço. Saiba encaixar histórias no seu discurso e prenda a atenção do público.

Eduardo Brunetto
du@pipocamoderna.com