Pipoca Moderna | Apresentadores Bastardos
1261
post-template-default,single,single-post,postid-1261,single-format-standard,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Apresentadores Bastardos

A revanche dos judeus sobre os nazistas é o tema principal de Bastardos Inglórios, um dos grandes filmes de Quentin Tarantino. Mas tirando a parte de tirar escalpos dos soldados nazistas, o filme pode ser muito instrutivo, dando várias dicas para melhorar a performance de vocês: apresentadores.

Tome cuidado com a sua linguagem corporal. Nós falamos com o corpo tanto quanto com a boca. Nossa postura indica nosso tom em relação ao assunto, e também delata o quão nervoso estamos. Então, durante uma apresentação, não tente ficar incorporando uma outra persona, estufando o peito e cruzando os dedos sobre a barriga, haja naturalmente, caminhe um pouco, faça-se confortável. Se você naturalmente estufa o peito e cruza os dedos sobre a barriga, desculpe o comentário, pode fazer isso também, apenas não force nada. Para mais dicas leia nosso post sobre linguagem corporal, clicando aqui. Linguagem corporal pode até te matar, como vimos em Bastardos Inglórios. Ao pedir três chopes, um americano disfarçado entre o exército alemão, fez o erro de sinalizar três com as mãos sem usar o dedão, como fazem os alemães. Depois disso foi tiro pra todo lado.

Não entre em assuntos que você desconhece. Ás vezes  você acaba entrando em algum mérito, ou alguém faz uma pergunta sobre um assunto do qual você não tem a mínima noção, e lá vai você tentar mandar aquele belo “migué” para o público, pensando que eles não vão te questionar. Se alguém perguntar algo que você não sabe, ou até não tem certeza, não tenha medo de dizer “eu não sei”. Não é um crime você não saber de tudo. Ao se passarem por italianos, sem falar nada de italiano, alguns soldados americanos tentaram se infiltrar num teatro para conseguir assassinar Hitler. Mas não é que eles acabam encontrando um soldado alemão fluente em italiano que resolve puxar papo. Pois é, o alemão até corrige a pronúncia do suposto italiano. Não queira que um sabichão te corrija, portanto mantenha-se nos assuntos que você domina.

Por mais que o filme possa ser violento e tudo mais, nos ensinou que linguagem corporal é muito importante em uma apresentação e que temos que dizer “eu não sei” de vez em quando.

Eduardo Brunetto
du@pipocamoderna.com